quinta-feira, março 08, 2007






Para dar seguimento ao meu mais recente post sobre a praia e aquela lamechice toda que por lá se encontra, em todo aquele emaranhado de linhas, decidi formular uma nova teoria, mais light e que antecede um próximo post, onde, e aí sim, irei formular a mais grandiosa de todas as teorias, aquela que por fim irá mudar toda a forma de pensar no planeta Terra, mas até lá…
Deixo-vos com:

A TEORIA DO TANQUE D’ÁGUA

Pergunta:
Porque raio é que uma cidade como a Figueira da Foz tem piscinas?



Temos várias praias e para todos os gostos.

História:

Domingo de manhã (ou seja 14:00, a noite no Bergas foi longa).
Acordo, espreguiço-me esboçando um enorme bocejo enquanto coço simultaneamente os tomates. (das poucas coisas que um homem consegue fazer ao mesmo tempo).
14:05 – Em boxers dirijo-me á cozinha e, enquanto olho para o interior do frigorífico coço o nalguedo (tarefa que me impede decidir entre um copo de água ou de ice tea).
14:25 – Após o almoço, um cafezinho que ajuda a assentar o estômago enquanto olho, incrédulo, para a SIC notícias que exibe uma reportagem onde o Valentim se safou (mais uma vez) de um qualquer crime.
14:30 – Alivio a tripa na sanita, leio a Maria e fumo um cigarro, tudo ao mesmo tempo (mais uma das poucas coisas que um homem faz em simultâneo).
15:15 – Depois de toda a secção “íntima” da Maria estar lida e após vários protestos da família espalho Haze (ambientador) na casa de banho e vou para o duche.
15:45 – Combino com a malta ir á piscina.
16:00 Depois dos exorbitantes 6 euros entramos na piscina. E agora sim, surge a diarreia cerebral.
16:00:05 – A malta, com água morta pela cintura, olha de surdina uns para os outros com enormes pontos de interrogação por cima das suas cabeças e imaginam uma taça com meia dúzia de chocapics a flutuar num montão de leite, ou, num caso mais estremo… canja. Imaginam estas duas hipóteses e comparam-nas á realidade presente. Posto isto, pensam nos 6 euros que acabaram de dar, olham para a água inerte e comparam-na estúpida mas logicamente á famosa praia do Cagalhão… do Conan… a Pequenita.
A verdade, pura e dura é que a piscina não tem vida, não tem ondas a bater, faz falta o vendedor de gelados assim como o famoso vendedor de bolacha americana. O máximo que pode acontecer na piscina é um leve desagrado causado por uma mancha amarela que um puto por lá deixou enquanto bracejava ao nosso lado.

Pergunta:
Porque raio é que uma cidade como a Figueira da Foz tem piscinas?

Resposta:

Para evitar que, como já aconteceu anteriormente comigo e com um velho amigo, ir-mos lá dar um mergulho e de seguida passar-mos a restante tarde a fazer das tarefas simultâneas que mais surpreendem a fisiologia/psicologia do homem em si… sentámo-nos no bar da piscina a mamar finos enquanto comíamos doritos, falando ao mesmo tempo que limpávamos as migalhas de doritos que nos caíam da boca para o peito com a mão direita, coçando a tomateira com a esquerda e acenando com a cabeça para a boazona que acabara de passar, que, afinal nem era assim tão boa. TUDO AO MESMO TEMPO… é obra

2 comentários:

Sandrita disse...

Eu acho que existem piscinas na Figueira da Foz para aquelas pessoas que para além de não gostarem de areia, ganharam recentemente um medo enorme de serem picados por peixes aranha!!! Também qual é a probabilidade de, entre um grupo enorme de amigos, tu seres picado duas vezes na mesma praia (praia à qual deves ter ido umas 5 vezes!!)?!
Também há que ter em conta que, na Figueira em concreto, a água gelada do mar não ajuda muito. A água morta da piscina sempre é mais quentinha, quanto mais não seja graças aos putos que andam lá a bracejar ao nosso lado!!!

NunoSioux disse...

Não pude deixar de reparar que passas 45 minutos a aliviar a tripa e a lêr a maria o que me leva a pensar:
Sóóóóóoóóóóóóoóóóóóóóóóó!!!!!
Por favor Sr. Pedro, esse é o momento mais intimo do Homem que deve ser respeitado, e aproveitado ao maximo!! Momento de exorcismo puro em que nos libertamos de todas a pressões provocadas pela vida!
Lembro-me de uma vez em que me "distrai" e passei 6 longas horas sentado na sanita, acordei ás 8:25, e como tinha de ir entrar ás 8:00 nos bombeiros, fiquei só mais meia hora e parti!! (passei o dia com dores horriveis, vai-se lá saber porque!)
Em relação a piscina, olha...
Não me ocorre nada, mas gostei da teoria da canja! Se fosse o Carlos Cruz perguntava logo:
Olhe desculpe pode ser com miúdos?
Hé hé!!