quarta-feira, fevereiro 03, 2010

Post À Lá Almeida...



Um futuro construido num passado pouco distante, estrilhaçado por um presente demoniaco que nos consome a alma, que nos alimenta a nostalgia e a melancolia que reina nos nossos corações. Um futuro de sonho transformado num presente fantasmagorico, um mundo onde apenas nos co-habitamos, um purgatório por nos construido, aguardando a data do juizo final, o nosso juizo final. O amor que outrora nos corria nas veias fora transformado num odio que aprece ser eterno, viajando nas nossas artérias contaminando cada milimetro do nosso corpo. Uma casa onde a alegria reinava foi tomada de assalto e encarcerada por uma solidão que nos definha a alma. Do lado de fora o mundo continua inerte e alheio ao “nosso” mundo.

2 comentários:

Pedro Emanuel disse...

"Do lado de fora o mundo continua inerte e alheio ao “nosso” mundo."

como eu te compreendo irmão

A alma que desemboca nas águas profundas do riacho que é a vida... corre sempre na direcção do seu rumo incerto que é o destino do pássaro livre, dentro da gaiola que é este mundo incompreendido do ser.


O peso do "ser" (entendes?) é um fardo por vezes insuportável, sendo suportado apenas com a vontade do "eu" (percebes?)... que no fundo és tu... e tu



obrigado por me fazeres sentir (sentir) assim

Nuno Almeida disse...

ahahahahahahahahaahahahahahahahahaahahahahahahahaahahahahahahahaahahah

Lindo!!!!

Post e coment do ANO!!!!!!

ahaahahahahahahahahaahahahahahahaah

lol