terça-feira, abril 24, 2007

Beijo





A desvalorização do beijo está implementada na sociedade de hoje.
Um beijo já não é o que era… no tempo dos avôzinhos. No tempo dos avôzinhos, namorava-se um ano por carta até o primeiro beijo chegar. (A isto é que eu chamo de preliminares).
O primeiro beijo é sempre o mais envergonhado. Ambos os parceiros envolvidos no acto tentam tudo para que seja perfeito, para causar boa impressão, e, na grande maioria das vezes corre mal (ou pelo menos nunca corre como esperado).
Depois do primeiro beijo, ao longo do namoro, os beijos vão acontecendo com mais naturalidade mas também, com menos intensidade, menos paixão, mais monotonia… rotina.
Os beijos começam a tornar-se rotineiros e por isso o digo, - a desvalorização do beijo está implementada na sociedade de hoje, ou então, a rotina é uma parte integrante da vida á qual nem os beijos escapam.
Mas existe a boa e a má rotina.
Um beijo pode ser rotineiro e mesmo assim sair com intensidade.
O pior que pode acontecer a um beijo é perder a intensidade, o brilho e a chama.
Actualmente na sociedade em que vivemos, devido á enorme informação e sobretudo “banalidade” do beijo, este, chegou a um patamar tal em que precisa de ser trabalhado, estudado, planeado, etc. ao longo de um namoro/casamento, para que não perca o combustível que incendeia a sua chama, o seu brilho e intensidade, de forma que, ao tornar-se rotineiro os parceiros sintam-no e sintam toda a paixão que ele pode proporcionar. Ou seja, não podemos ficar sentados de papo para o ar á espera que o amor que sentimos pelo parceiro resolva tudo.
Uma vez ouvi dizer… beija sempre como se fosse a última vez, pois nunca saberás quando é, de facto a última vez.
Eu penso ser impossível manter uma relação com “últimos” beijos. É-nos impossível beijar sempre como se fosse a última vez, a rotina (mais uma vez) não o permite e também, porque é exactamente por não saber-mos quando será a última vez, que não conseguimos beijar como se de facto fosse.

(Não faço sentido!?)

E se soubéssemos?
E se soubermos que o próximo beijo irá ser o último?
Aí… tudo muda.
O último beijo é, sem sombra de dúvidas o mais intenso (mais ainda que o primeiro).
Faz jus ao ditado: a chama de uma vela brilha sempre com mais intensidade momentos antes de se apagar.

O último beijo (repito) é o mais intenso.
É também o mais triste.

É pena.

6 comentários:

Pingo disse...

É realmente uma pena que seja tao banalizado, ms a verdade e k é inconscientemente. Há quem tenha a sorte de saber quando o beijo é o ultimo. Ms sera k é mesmo sorte saber o k esta implicito no significado dessa palavra?

O Ogre disse...

Por acaso, aí está uma interessante reflexão. Para aí a meio da minha adolescência deixei de dar importância aos beijos, mesmo aos meus pais. Felizmente que a minha namorada (e agora minha mulher) me fez voltar a dar-lhes valor. É beijo de bons dias, de boas noites, quando chego a casa (mesmo que só tenha saído para ir comprar o jornal)... de facto nunca tinha pensado que um desses beijos pudesse, porventura, ser o último...

NunoSioux disse...

Uma coisa é certa meu caro irmão! Apenas a morte nos pode garantir que o ultimo beijo foi realmente o "ultimo".
A terra gira, vai mudando a nossa vida, as opiniões as maneiras de pensar... Contudo por vezes, e quando menos se espera, e depois de tanto rodar damos por nós no mesmo "lugar". Naquele lugar que um dia pensamos ter perdido para todo o sempre.


Podemos perder o ultimo beijo, perder o amor da nossa vida. Mas nunca perdemos as memórias do primeiro beijo!

Uma coisa eu te garanto meu irmão...
Podes perder tudo na vida,mas... podes sempre contar com a minha amizade!

Adoro-te meu irmão

pisconight disse...

POr acaso não acho que o último beijo seja o mais intenso, até como tu o disseste e bem, por vezes não sabemos que o estamos a dar... e mesmo que soubessemos não quer dizer que queiramos que seja assim tão intenso.

É claro que estou a falar do ultimo beijo de uma relação em que nós a queremos terminar...

Um abraço.

;)

Sandrita disse...

O último beijo... realmente nunca sabemos quando é o último, e por vezes é quando menos esperamos! Mas se calhar é mesmo melhor não saber que é o último, deve ser recordado como todos os outros beijos, não ser recordado como o final mas sim como o fruto de um amor que foi vivido enquanto pode...

Xana disse...

Excelente!!!
e sobre o beijo, fica aki algo k dedico a alguem mto especial e k partilho convosco...
Beijar a tua boca
é a minha aventura
voar pelos ventos do teu bem querer
beijar a tua boca é perder a inocencia
beijar a tua boca é jogar e perder...
Beijar a tua boca é voar no infinito
não fazer perguntas nem saber porquê
Beijar a tua boca é a dor e o remédio
que cura este medo de nunca te têr...
Por isso é que guardo o teu beijo comigo que te traz para mim, quando eu te tento esquecêr...


Espero ke gostem!
Bjocas!!!